Briefing: O que é, Benefícios

Não há projeto que seja bem-sucedido sem um briefing de qualidade.

O conceito remete imediatamente ao marketing e à gestão de empresas.

Nessas áreas, o briefing ajuda a entender as necessidades do cliente e as particularidades de um novo projeto.

Para criar esse material, é essencial compreender de fato a demanda, saber traduzi-la para a prática do mercado e dialogar com os anseios do público-alvo.

Ou seja, um briefing bem feito é uma peça-chave das empresas de sucesso.

Mas seu conceito pode ser expandido para outras esferas.

Neste texto, você vai entender, com exemplos práticos, o que é um briefing, como elaborá-lo e quais são os seus benefícios.

Ao fim da leitura, você será capaz não apenas de elaborar um briefing de qualidade, mas também de defender a sua importância em qualquer reunião corporativa.

O que Seria um Briefing? Conceito e Significado

Para começar, vamos destrinchar o conceito de briefing.

A palavra “briefing”, na língua inglesa, pode ser traduzida como “instruções”.

Essa é a tradução literal do termo, mas, no marketing e na publicidade, a palavra recebe um significado mais abrangente.

Na definição do Dicionário Oxford, em inglês, é uma reunião na qual as pessoas recebem instruções ou informações.

Para o autor Rafael Sampaio, em seu livro Propaganda de A a Z (Editora Elsevier, 2013), o briefing pode ser definido como um “documento contendo a descrição da situação da marca ou empresa, seus problemas, oportunidades, objetivos e recursos para atingi-los”.

Sampaio afirma, ainda, que o briefing é a “base do processo de planejamento”.

Já o autor Armando Sant’Anna, em seu livro Propaganda: teoria, técnica e prática (Editora Cengage Learning, 2015), diz que “chama-se briefing as informações preliminares contendo todas as instruções que o cliente fornece à agência para orientar os seus trabalhos.”

Finalmente, no livro Briefing the Team: A Guide to Better Briefing for Clients (Editora Thomas Telford, 1997), os autores definem o briefing como um “processo pelo qual um cliente informa outras pessoas a respeito das suas necessidades, ambições e desejos, seja de forma formal ou informal”.

Como você deve ter percebido, a definição e o conceito estão fortemente relacionados com o mercado publicitário.

Isso acontece porque foi na publicidade e no marketing que essa ferramenta cresceu, expandindo-se para outros ambientes corporativos.

De forma resumida e simplificada para facilitar o entendimento, o briefing pode ser definido como um processo (mas também pode ser um documento) por meio do qual alguém estabelece os parâmetros para execução de um projeto por outra pessoa (ou grupo de pessoas).

No contexto da publicidade, o briefing é elaborado pelos representantes da marca para ser apresentado aos representantes da agência de publicidade.

O objetivo do briefing é orientar os profissionais de criação para que a agência produza um material de divulgação alinhado às necessidades definidas pelos representantes da marca.

Justamente por isso, deve ser capaz de nortear as ações e sanar as dúvidas, para que as pessoas responsáveis pela execução permaneçam convictas durante o processo.

Para que isso seja possível, precisa conter uma série de informações sobre a empresa que está contratando os serviços.

Deve apresentar, por exemplo, informações sobre o segmento do mercado em que a empresa atua, detalhes sobre o produto que está sendo lançado e o público ao qual esse produto está relacionado.

O briefing deve expor as dificuldades que a empresa está enfrentando e explicar o que a organização deseja alcançar.

A partir daí, o trabalho fica por conta dos gestores, que precisarão pensar em alternativas para atingir o objetivo traçado pelo cliente.

Deu para entender por que o briefing é uma peça-chave para o sucesso do seu trabalho, não?

Principais Benefícios da Estratégia de Briefing

 

Agora que você já entende o conceito de briefing e o seu significado no ambiente corporativo, vamos listar os principais benefícios que a adoção da estratégia do briefing traz para os resultados – tanto da empresa que contrata, como da empresa que executa.

Para facilitar esse entendimento, permita-se fazer um exercício de imaginação.

Considere que a sua empresa de cosméticos vai lançar um novo produto no mercado, como um xampu.

Você, que participou do processo de concepção da marca e da definição do conceito, sabe que o xampu é destinado a mulheres de cabelos crespos e que a o lançamento representa uma mudança de posicionamento da marca no segmento.

Agora imagine que, seja por um imprevisto, por pressa, por falta de planejamento ou por desorganização, essas informações que você conhece não cheguem de forma integral até os responsáveis por executar a publicidade.

Duas semanas depois, quando o grupo de trabalho da agência entrega o material finalizado e pronto para ser aprovado, a peça de publicidade mostra uma criança de cabelos lisos e tranças saltitantes.

Como um erro tão grosseiro pôde acontecer?

As pessoas responsáveis por pensar a estratégia de lançamento não apenas se basearam em informações incompletas, como passaram todo o tempo produzindo um material com um objetivo diferente do esperado por você.

Resultado de tudo isso? Você já sabe: desperdício de tempo e de recursos.

Todo esse cenário descrito acima, que deve ter dado calafrios aos profissionais mais metódicos e organizados, seria evitado por um briefing assertivo.

Só que a assertividade e a eficiência não são os únicos benefícios do processo.

De fato, o briefing também contribui com o próprio cliente que está contratando o serviço, porque impõe reflexões a respeito do produto e dos objetivos finais.

Ao realizar o briefing, a informação é encontrada e sistematizada.

Aquilo que estava apenas no pensamento das pessoas envolvidas no projeto é organizado de forma metódica: preto no branco, para não deixar margem para erro.

Com isso, as informações, que estavam dispersas, ficam agrupadas.

Por agrupar as informações que estavam dispersas, o briefing se transforma em um centralizador de conteúdo.

Recebe, por assim dizer, uma hierarquia dentro do projeto, sendo referência para todos que nele atuam.

Mas não é só isso.

O processo de elaboração do briefing também costuma ser muito propenso a novas ideias e ao surgimento de soluções que ninguém havia cogitado.

É um momento de inspiração para todos.

Finalmente, ainda vale lembrar que o grande benefício da estratégia do briefing é direcionar, com planejamento prévio, o trabalho que será executado pelas pessoas criativas, com foco nos objetivos apresentados como prioridade pelo cliente.

 

 

FONTE: www.sbcoaching.com.br