Tomador, doador ou compensador: qual o seu perfil no networking?

Bons tempos aqueles em que para encontrar um bom emprego havia sempre uma banca de jornal por perto. Para quem é paulista, o Estadão de domingo era leitura obrigatória, com seus volumosos cadernos de empregos. Selecioná-los, recortá-los, tirar xérox do currículo, bater as etiquetas na máquina, colocá-los no envelope pardo, Continue lendo →